Posted by: licedoa | March 18, 2011

Dos Trailers

Uma imagem vale por mil palavras, mas uma sequência vale por muito mais…

Um dia desses, eu estava pensando sobre o quanto os trailers estão banalizando e arruinando totalmente certos filmes. Não tenho conhecimento suficiente para afirmar a existência de uma carreira de editor de trailers. Acho que, no caso, quem faz isso é o editor do próprio filme. Gosto muito de trailers. Acho que eles são um ótimo elemento de Marketing, mas veja bem, elemento de Marketing não é necessariamente elemento de enganação.

Trailers despertam em você a vontade de querer assistir o filme, mas nunca deveriam mostrar a história inteira do filme. Alguns trailers você assiste e é como se já tivesse visto o filme, não porque a temática é a mesma de outros tantos filmes, mas sim porque ele entrega a história toda na bandeja, pra você.

Outros trailers são altamente enganosos. Você assiste e tem a leviana ideia de que o filme vai ser espetacular e quando sai da sessão fica de boca aberta, e não é porque você confirmou sua teoria, foi apenas mais um editor que te enganou e você caiu como patinho achando que o roteiro tivesse alguma coisa diferente.

Um exemplo do quanto os trailers podem influenciar na sua escolha e, aqui nesse caso que eu vou citar entra não só a edição de vídeo, mas também a trilha sonora. Na internet, fizeram dois vídeos. Um que faz você acreditar que o filme Mary Poppins pode ser assustador e outro de que O Iluminado é totalmente amigável. Não acredita? É só clicar no play aí embaixo.

Gosto sim dos trailers que mostram apenas o bastante pra você querer assistir, mas não entregam a trama e ao mesmo tempo não aumentam o “valor” do filme. Por exemplo: filmes de ficção científica que tem efeitos especiais de última geração. O cara assiste o trailer e fica maravilhado com as imagens, mas… E a história? A decepção chega como um baque quando você perde tempo e dinheiro pra ir ao cinema. Não sei você, mas eu não vejo o filme apenas pelos efeitos especiais, sempre acho importante um bom roteiro. Odeio histórias que se repetem. Se eu quisesse assistir um filme igual ao outro, eu apenas veria o mesmo filme novamente.

Mesmo um filme com grandes efeitos, pode mostrar o bom roteiro através das imagens. Uma imagem vale por mil palavras, mas uma sequência vale por muito mais. E você não precisa mostrar diálogos ou off pra que ela seja perfeita. Veja, por exemplo, a cena de O Iluminado, que mostra o rio de sangue saindo dos elevadores, as gêmeas e logo depois Danny com os olhos arregalados e a boca escancarada. Aquela sequência é medonha, mas adoro ela.

Às vezes também pode-se chamar a atenção do espectador com pequenas partes de cenas que dentro da composição final do trailer, iria casar com as outras cenas muito boas mas sem mostrar todas as melhores cenas do filme. Assim, ele não iria te enganar, você assistiria ao filme pelo filme e não por algo que ele poderia ter sido.

Acho que fazer trailers é uma arte tanto quanto fazer filmes. É preciso chamar a atenção, sem entregar e sem se exceder. Um bom exemplo é o teaser. Tem coisa melhor do que um teaser? Ele serve justamente pra isso, te chamar. Mesmo assim, não tenho visto muitos teasers ultimamente. Os melhores na minha opinião são o de A Origem e o novo Super 8.

Qual a opinião de vocês sobre os trailers? Acham eles banais ou uma arte? Comentem!

Conteúdo exclusivo em @alicedoa3.

Vejam também: Posts Colaborativos


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Categories

%d bloggers like this: